Estabelecimento


O PROGRAMA BWC FOI FUNDADO DE PESQUISA QUE MOSTRA O PODER DOS MICRO-PRODUTOS ACESSÍVEIS DE POUPANÇA PARA MULHERES.

O objectivo do BWC é aumentar as oportunidades económicas das donas de pequenas empresas e agro-empresas, ajudando-as a melhorar o desmpenho das suas empresas através da formação em habilidades de negócio e do acesso `a poupança e outros produtos e serviços para melhoria de negócios.

Devido a falta de capital, muitas mulheres fazem negócios nas empresas de baixa margem e as normas culturais exigem que a maioria do rendimento delas seja usado para apoiar a familia. Num contexto onde 82.6% das mulheres não tem acesso aos mecanismos formais de poupança, of produtos móveis de poupança oferecem-lhes melhor segurança, privacidade, e control dos seus rendimentos para que elas possam reinvestir nas suas empresas e gradualmente avancem `as actividades de alta margem.

about_map.png

BWC began in Tanzania by promoting mobile savings and business skills to 3,000 women under a randomized control trial in partnership with the Center for Global Development and the Gender Innovation Lab at the World Bank. The objective was to demonstrate the impact of two treatment arms – promotion of mobile savings alone, and promotion of mobile savings combined with business skills training.

In 2017 and 2018, TechnoServe expanded its activities to help 5,000 more women entrepreneurs across Tanzania, Mozambique and Nigeria increase their economic opportunity through access to – and educated use of – financial services for their businesses.

 

Historia do Programa


Operando em Moçambique desde 2017, o Business Women Connect tem objectivos maiores do que nunca - a formação de mulheres para mudar as suas comunidades

Começando com um fase trial no ano 2017, o BWC Moçambique tem prosseguido novas estratégias e novas comércios em cada fase, com objectivo alcançar mais mulheres em todo o pais. Começou com foco nas micro-empreendedoras urbanas, mas o programa se evoluiu para focalizar nos agentes bancários para trazer uma abordagem inclusiva de gênero para a literacia financeira. Explore a nossa história do programa abaixo:

Explore a nossa história: Escolha uma linea e passe o mouse para ver nossas realizações.

 

Equipa


Sarah Bove

Sarah Bove

Abneusa Manuel

Abneusa Manuel

Onika Tovela

Onika Tovela

Sarah Bove

Gerente do Programa

Sarah Bove é o líder de gênero no TechnoServe Moçambique, fornecendo aconselhamento e formação `a equipe sobre a programação com base no gênero. Ela tem mais de 10 anos de experiência no desenvolvimento internacional e o empoderamento de mulher. Antes disso, Sarah fundou e era presidente da empresa ética de moda, IKURU, que emprega e treina mulheres de origens vulneráveis. Durante aquela época, a Sarah também era consultora de gênero e fez estudos de gênero sobre o trabalho e poder de decisão no nível de casa e de comunidade. Anteriormente, ela trabalhou como Monitoring and Evaluation Officer na Aga Khan Foundation (Pemba, Mozambique), onde ela também focalizou no gênero. Tem experiência na International Organisation for Migration (Maputo), Médecins du Monde Portugal (Haiti), e a Intercooperação e Desenvolvimento (INDE) em Lisboa. A Sarah tem mestrado de desenvolvimento internacional de Lisbon University Institute e bachelor de estudos sociais de McGill University.

Abneusa Manuel

Consultora de negócios, Logística & Desenvolvimento

Abneusa (Aby) Manuel é engenheira de software e ativista social que tem trabalhado por 9 anos no empoderamento de mulheres e jovens, a saúde sexual e reprodutiva, a equidade de gênero, a inclusão digital, a democratização de informação e comunicação, e a adoção de tecnologia disruptiva em Moçambique. Com experiência como ativista no programa Geração Biz e como oficial de gênero no Parlamento Juvenil de Moçambique, Aby tem trabalhado com inúmeras jovens mulheres inteligentes que mostraram que as mulheres têm a potencial, a força, a persistência e a habilidade para esforçar-se sob circunstâncias incertas, e com a orientação correta e recursos suficientes, podem tornar-se empresárias e criadores de mudança.

Onika Tovela

Consultora de negócios, M&A

Onika Tovela é contadora e estudante e tem trabalhado em contabilidade e M&A nos últimos 3 anos. Antes de trabalhar com o BWC, ela era activista social na Fundação Rizwan Adatia e assistente de finança e oficial de M&A em Welthunderhilfe. Onika segue uma filosofia de ajudar mulheres criar independência com negócios nas comunidades próprias delas.

f120a6d7-d5fe-483f-aade-16b31fc3241b.JPG

Lucélia Amelaní Cuber

Conselheira de negócios sênior

Lucélia juntou-se ao BWC porque se identificou com o projeto, lida com questões importantes que a sociedade em particular moçambicana vive, ligando a gestão de negócio que é outra área de grande interesse. Nascida em Maxixe, ela fez formação em História Política e Gestão Pública com habilitação em Gestão de Unidades Territoriais. Antes de juntar-se ao BWC no ano 2017, ela trabalhava em papéis administrativos e em recursos humanos.

Yara Mussagy Gulamhussene

Yara Mussagy Gulamhussene

Yara Mussagy Gulamhussene

Conselheira de negócios

Yara juntou-se ao BWC por acreditar na ideia e, estar indignada com a forma como a sociedade negligencia e marginaliza a mulher e omite ou ‘tapa com a peneira’ todo o esforço e empenho dela para com a família sobretudo e, passa o mérito todo para o seu marido, pai, irmão, mais numa o nome dela é evidenciado. Nascida em Maputo, ela fez pós graduação em Gestão de Marketing e Comunicação Empresarial na Universidade Católica de Moçambique (Nampula) no ano 2015. Antes de juntar-se ao BWC, trabalhou na Faculdade de Educação e Comunicação como vice-coordenadora e conselheira no núcleo de combate ao HIV-SIDA, na área de aconselhamento aos estudantes sobre HIV e fez estágio em regime académico no Corredor do Desenvolvimento do Norte – Departamento de Comunicação e Imagem.

Carlota Daniel Buvane

Carlota Daniel Buvane

Carlota Daniel Buvane

Conselheira de negócios

Carlota juntou-se ao BWC porque gosta de ensinar e trocar experiência com outras mulheres de negócio (empreendedoras), e ajudá-las a fazerem negócios de forma racional. Ela gostaria também de contribuir para o seu empoderamento com formação de habilidades de negócio. Carlota é natural de Maputo e concluiu o nível de Bacharelato e Licenciatura Em Ensino de Contabilidade e Finanças pela Universidade Pedagógica. Antes de juntar-se ao BWC, ela trabalhou na Direcção de Agricultura e Segurança Alimentar da Cidade de Maputo no Departamento de Administração e Finanças.

Eleutéria Laurenciana Alcides

Eleutéria Laurenciana Alcides

Eleutéria Alcides

Conselheira de negócios

Eleutéria (Leu) juntou-se ao BWC porque para ela é sempre um prazer trabalhar com mulheres. Quando recebeu a oportunidade de participar no projecto BWC, percebeu que era mais uma chance de fazer a diferença, a mulher tem um impacto muito grande na sociedade por ser mãe, esposa, filha etc. Garantir o aprendizado das mulheres é conquistar mundo. Com esta formação as mulheres de negocio tem a chance de mostrar ao mundo que elas vão ganhar habilidades de gestão de negócios, estarão financeiramente educadas e vão garantir uma boa gestão financeira o que pode possibilita-las em planificar e investir melhor nos seus negócios. Nascida em Inhambane, ela fez licenciatura em Finanças na Universidade Eduardo Mondlane no ano 2017.

Lucélia

Lucélia

Lucinda Congolo

Conselheira de Negócios

Lucinda juntou-se ao BWC porque acredita no potencial feminino e com intuito de ajudá-las a solidificarem os seus empreendimentos através da implementação de boas práticas de Gestão Financeira. Ela é formada em Gestão Empresarial com Habilitações Financeiras e tem experiência em Gestão de Clientes e Promoção de vendas em Agência Fotográfica e Reprografia.